Dívida Publica ou Depósito a Prazo?

22-09-2017  Em Portugal as taxas de juro estão muito baixas e alguns bancos até pagam zero pelos depósitos, afastando as pessoas dos tradicionais depósitos. Mas se quer o dinheiro seguro pelo fundo de garantia dos depósitos, e se precisar movimentar o dinheiro é melhor que a dívida pública portuguesa subscrita nos CTT Correios.

Nos correios temos os certificados de aforro: se precisar movimentar o dinheiro até 2 anos, e permite reforços em múltiplos de 100€, e passados 3 meses pode levantar, capitaliza os juros. Permitem um segundo titular na conta.

E os certificados do tesouro poupança mais (CTPM), subscritos em múltiplos de 1000€, e só passado um ano pode movimentar. Não capitaliza os juros creditando-os numa conta à ordem escolhida por si. É aconselhável manter mais de 2 anos até 5 anos. É só um titular, e caso faleça basta a certidão de óbito e se necessário a habilitação de herdeiros.

Mas é segura dívida pública? Todos nos recordamos do programa de assistência financeira, a Troika e o estado português manteve as suas obrigações e ninguém perdeu o dinheiro investido, enquanto em alguns bancos existiram e existem muitos problemas, de aforradores que investiram em aplicações de risco: reparta os ovos por vários cestos e informe-se sobre onde investe o dinheiro.

As taxas de juro da dívida pública são superiores às dos depósitos a prazo.

Para controlar a inflação e manter os juros baixos para os empréstimos às empresas e particulares, tanto em Portugal como na Europa, o panorama financeiro não vai alterar-se, estando os aforradores a “guardar o dinheiro” em vez de terem um rendimento de juros superior à inflação.

Há bancos online que oferecem taxas superiores à inflação.

Se é dinheiro de uma vida, eu não arriscava em aplicações de risco ficaria por estas aplicações financeiras, ao menos o dinheiro está seguro.

Download comparativo ficheiro Excel (c): Dívida Pública ou Depósito a Prazo

antoniopereira

leave a comment

Create Account



Log In Your Account